sábado, 20 de dezembro de 2008

Olhares sedutores #4


Fábio seguiu o exemplo do amigo e entrou livre de roupa no jacuzzi, mas Ângela decidiu ficar com a lingerie vestida.
André, sem dúvida o mais entusiasta dos três, aproximou-se de Ângela e começou a tocar-lhe o corpo: os dedos dele percorriam-lhe os ombros, apalpavam os seios ainda resguardados pelo soutien molhado, e viajaram para as costas dela. Com o indicador André percorria a coluna da mulher, enquanto a sua língua explorava a boca de Ângela. Fábio, até agora no papel de observador, chegou-se para perto da acção e aventurou-se com a mão para dentro do fio dental de Ângela, lentamente, com requinte e cuidado, pois era óbvio aos três que a dona da casa onde se encontravam ainda se estava a habituar à ideia de ser possuída por dois homens. A energia erótica entre os três cada vez se iluminava mais, os preenchia mais, e os deixava apenas atentos ao que se passava por entre aquela água quente e apelativa. As posições trocaram-se. Ângela continuava com as costas encostadas à parede do jacuzzi, mas já sem nada por expor, as duas peças de lingerie abandonadas a flutuar na água; André havia-se colocado à frente dela, apalpando-lhe os seios e mordiscando-lhe os mamilos rijos e desejosos de mais; e Fábio estava agora do lado direito de Ângela, enquanto lhe estimulava o clitóris e a preenchia com dois dedos. Mas a energia movia-se, espalhava-se, era contagiante, e levava a que os três quisessem ir mudando o que faziam com frequência. André deixou os lábios e os seios de Ângela, e colocou-se de pé, deixando o seu membro rijo e tesudo ao nível da face da anfitriã. Esta levou-o à sua boca, percorrendo com a língua toda a sua dimensão, chupando-o, envolvendo-o com a sua boca, enquanto André acariciava os cabelos de Ângela. Enquanto proporcionava prazer a André e recebia os dedos de Fábio dentro de si, Ângela mergulhou uma das mãos na água e encontrou a tesão de Fábio também mais do que pronto a ser acarinhado. A mão dela encontrou o que queria e Ângela prontificou-se a fazer movimentos para cima e para baixo, para baixo e para cima, enquanto fazia o mesmo com André, mas na sua boca. Agora sim, os três recebiam prazer, espalhavam a energia pelos corpos e chegavam ao seu clímax, um de cada vez. Primeiro Ângela, soltando gemidos impossíveis de serem contidos, estremecendo e fazendo a água soltar-se em ondas pelo jacuzzi. Depois André, com mais gemidos secos e poderosos, derramando o seu poder pela boca de Ângela. Por fim, Fábio, dominado pelo prazer dos movimentos de Ângela e por ver os dois parceiros da noite a se virem poderosamente e sem pudores.

~~~~~~~~~~~~

- Sintam-se à vontade.
Era difícil os dois amigos não se sentirem confortáveis naquela casa. O ambiente e o clima entre os três era quente e poderoso, o desconforto inicial há muito se havia desvanecido. E a própria casa parecia feita de maneira a deixar os seus habitantes e convidados soltos e confortáveis. Os três encontravam-se na enorme sala de estar da casa. A lareira tinha sido acesa por Fábio, as bebidas distribuídas por Ângela, os toques novamente recomeçados por André. O chão era confortavelmente coberto por carpete quase até à lareira, sendo ao pé desta revestida de mosaico. A carpete parecia convidar os demais a esquecerem as peças de mobiliário e a sentarem-se directamente no chão. E foi isso que os três fizeram.
A lenha estalava e ardia, enquanto o fogo iluminava o espaço e acendia mais uma vez a vontade dos três. A roupa ainda permanecia na sala do jacuzzi, esquecida, sem importância. O que importava eram os beijos trocados entre Fábio e Ângela e o penetrar dele nela, deitados frente a frente, com os corpos laterais ao chão. O que importava eram as investidas de André por trás de Ângela, deitado também de lado, com vista para o rabo e costas da dona da casa. As mãos de André seguravam cuidadosa e firmemente os seios de Ângela, enquanto ele a penetrava por trás, praticando uma anal que fazia Ângela vibrar e estremecer, um misto de prazer e sensações diferentes daquelas que Fábio lhe provocava ao penetrá-la à frente. Não melhores ou piores. Simplesmente diferentes. Os gemidos de Ângela misturavam-se com os beijos que trocava com Fábio. Os sons emitidos pelos três marcavam uma sinfonia que subia de escala a cada momento que passava. Ângela sentia o culminar dela a aproximar-se a uma velocidade estonteante.
- Ahhh... Vou-me virr... Sim!...
Palavras meias gritadas, meias gemidas, meias ditas, mas totalmente sentidas. Fábio e Ângela vieram-se, praticamente ao mesmo tempo, deixando Ângela exausta e cheia do vigor de Fábio na sua rata. André veio-se poucos segundos depois de Ângela cair na realidade de que a noite estava a acabar, mas ainda não bem. A voz de André encheu o ar, o prazer dele foi derramado por cima do rabo dela. E os três deixaram de ser um só corpo, unido, e voltaram a ser indivíduos únicos, com uma aventura e uma noite para ser lembrada para sempre.
- Querem tomar banho?
Mais uma vez junto do jacuzzi, mas desta vez dentro do chuveiro enorme para duas pessoas, mas desta vez partilhada por três, Ângela e os dois amigos trocavam pequenas palavras que resumiam a noite, enquanto se ensaboavam e acalmavam o clima erótico que emanava de cada um.
- Gostei imenso da noite...
- Eu também. Acho que temos de repetir.
- Eu repetia já amanhã.
Os três riram-se com a vontade que era partilhada por todos. Amanhã cada um seguiria a sua vida, sem se encontrar. Mas num amanhã talvez próximo, talvez distante, a noite seria repetida, copiada, mudada, feita ainda mais perfeita, talvez. Por enquanto, a única certeza que Fábio, Ângela e André tinham é que os contactos tinham sido trocados, as roupas tinham sido vestidas, e cada um tinha a prova de que nunca se sabe como um olhar vai acabar, e quando uma noite explosiva vai começar.
Fim.

17 comentários:

Ricardo disse...

Tens que começar a colocar a bolinha vermelha, no canto superior direito das tuas postagens...
É porque se não, vai haver muito boa gente que vai ficar com os cabelos em pé!:)

Beijo

PAULO LONTRO disse...

Os cabelos de pé, e não só ......
Boa, boa, Lize!
Por mim pode ser já amanhã...

Lize disse...

Ricardo, ahahahah xD Por acaso ainda ontem olhei para aquela pergunta nas definições do blog a perguntar se aqui há conteúdo para maiores de 18... ;P Acho que tenho de pensar em mudar o não para sim :P
Quem ficar com os cabelos em pé olhem... digam que eu sou uma grande porca e marota, que hei-de eu fazer ;P E sigam para o blog a seguir, mais decente que o meu :P

Paulo, ahahahahahah xD Fizeste-me rir e muito ;P Ai homem amanhã não :P Este foi dos textos que mais prazer me deu a escrever, mas também foi dos mais complicados por ter três pessoas envolvidas em vez de apenas duas :P Já para não falar que começam no bar, vão para casa, vão para não sei onde :P Mas estou feliz com o resultado :P Que eu sou esquisita com aquilo que escrevo :) Fico feliz por gostares :)

Beijocas aos dois ;)

najla disse...

Prometeste, cumpriste!
Realmente aqueceu mais!
Parabéns, está um texto magnifico!
Beijos

Lilith disse...

Muitoooo bom :), fiquei fora de mim. Adorei o texto e fiquei cheia de vontade de experimentar algumas dessas coisas ;)!

Dentadinhas natalicias

poeta_poente disse...

Eu sabia que a espera ia valer a pena. Não sabendo muito bem como te elogiar, vou simplesmente dizer que a literatura erótica não é algo que me cative, mas ler o que escreveste, simplesmente não consegui parar de ler...
Não deixes nunca de escrever, com mais ou menos tempo, vai derramando palavras.
Gostei, a sério!

Beijo

Lize disse...

Najla, obrigada ;) Fico muitoooo feliz por gostares :)

Lilith, ahah nasci para pôr as pessoas fora delas :P ahah Estou a brincar. Experimenta que eu também fiquei com vontade de experimentar :P Sim, porque quando disse que isto era totalmente ficção... é porque ERA totalmente ficção :P

Poeta_poente, ainda bem ;) Não tenciono parar de escrever de todo :) Escrita erótica não é algo que me seja rotina fazer, mas às vezes dá-me estes impulsos e ideias para uma bela história e pronto... cá está :P

Beijocas aos três!!

Ianita disse...

Digamos que... a modos que... não sei se... talvez... a verdade é que...

Gostei! :)

Beijo!

Lize disse...

Ianita, ufa!! Já me estavas a assustar! :P Ainda bem que gostaste ^^
Pessoal, vocês põem-me orgulhosa de mim própria ahah :)

Beijocas

White_Fox disse...

Muito bom mesmo! Tenho que admitir que adorei a história. E acho que escreves mesmo muito bem! Qui çá ainda nos convidas um dia para o lançamento de um livro teu...

bjs

Lize disse...

White_fox, ahah :D Um livro meu... à uns anitos, que me parecem séculos, escrevi um daqueles diários para meninas adolescentes com a história de sempre e o romance de sempre com o vizinho todo bom que mora na rua acima mas... é óbvio que não foi publicado. Também não fiz imenso para o ser :P Está guardado :P Como quero ser jornalista... talvez um dia junte o útil ao agradável e escreva um livrinho meu... :)

Beijocas, e obrigada :D

Jorge Pessoa e Silva disse...

Vou-te dizer uma coisa que pode soar entre o estranho, o provocador e o despropositado. Mas como confio mais no teu bom senso do que no meu, escrevo sem pensar muito:

A boa escrita erótica, na minha visão masculina, é a que provoca uma erecção lenta e progressiva enquanto vou lendo o texto sem que a seguir tenha de ir a correr... contar azulejos na casa de banho.

É um fio estreito, dado a desequilíbrios, a começar por quem escreve.

E se eu continuo aqui a escrever é porque... não fui à casa de banho.... rs... rs... rs... rs...

Só tens de continuar a trabalhar o talento. Porque transmitir emoções é algo que sabes fazer.

Beijinhos

PS Desculpa-me se não faço muito sentido. Mas como te disse, confio mais em ti do que em mim para perceberes onde quero chegar... rs... rs... rs...

Lize disse...

ahahahahahahahah xD

Jorge, ... Deus homem, tu... matas-me com os teus comentários, posts, etc. e tal xD Matas-me, no bom sentido claro. Uns 30 % das minhas gargalhadas semanais devem ser devido a algo que tu escreves :P Uma boa média ;P

Bem, fico feliz por não teres ido... contar azulejos à casa de banho xD Tento escrever coisas eróticas, não pornográficas :P O meu objectivo não é ter ninguém a... contar azulejos xD enquanto lê :P Quero sim que se identifiquem na experiência se já o fizeram, que imaginem a experiência se não o fizeram, e que pronto, se estiver bem escrito é normal que os meninos fiquem... upa upa xD Nós meninas precisamos de um pouquinho mais para ligar o aquecimento ;P Mas há textos que leio que enfim, fazem vontades aparecer :P

E ficamos por aqui. Ainda bem que tenho bom senso não é? ahahah :P

Beijocas

Magnolia disse...

Só agora é que estou a ter um pouquinho de tempo para vageuar pelos blogues "que estou a seguir". E é bom notar que decidiste investir na escrita criativa. Vou ter vagar para ler calmamante as histórias, mas tendo em conta o carácter provocativo da imagem, só posso estar entusiasmado para ler.
Muito positivo juntares a tua objectiva de ser com a leveza da pena.

Beijocas e voltarei

Lize disse...

Magnolia, por falar em textos que me fazem aquecer! ahah :P São os da tua autoria, é verdade :P Já há muito tempo que não escrevia nada fictício. Ou melhor, já tinha escrito pequenos textos eróticos inventados, aqui no blog, mas algo maior e com uma história mais complexa, nem por isso. Por isso resolvi voltar a praticar os meus dotes :P E a verdade é que os teus textos são quase sempre a minha inspiração. Foi o primeiro blog a sério que eu começei a acompanhar e onde li os melhores textos de sempreee :) Quando escrevo há sempre uma parte de Magnólia em mim :P (poético, ficou bonito ahah :P Mas é verdade :) )

Beijocas e espero que voltes aqui, e ao Edifício :) Tenho andado à espreita, mas anda tudo tão caladinho... :P Será da crise? :x

Shelyak disse...

Pelos vistos, gostamos de ler o magnolia :)
E brincadeiras destas... hummmm... bem aliciantes que são... (já andei pelos posts anteriores).
Beijinhoooooo
:))))

Lize disse...

Shelyak, já temos algo em comum ahah :P São umas belas brincadeiras :P


Beijocas