sábado, 19 de julho de 2008

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Quero voar!


Estou a viver um sonho...
Não quero pôr os pés no chão, ok?

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Pôr do sol


The sunset

and me.
P.s.: Apesar de provavelmente não ter acesso a nenhum computador, os posts neste blog vão continuar por uns dias, postados automaticamente. Comentários e afins serão respondidos depois!

Encaixe perfeito

quarta-feira, 16 de julho de 2008

terça-feira, 15 de julho de 2008

segunda-feira, 14 de julho de 2008

sábado, 12 de julho de 2008

Wanna fight me?


Mulheres da guerra...
Eles que se cuidem ;)

Fairy tale


Conto de fadas...
Mas bem real!...

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Curves

É que já só penso em férias...
(E amanhã é dia de re-pintar o cabelo de preto :P, daí, esta imagem)

quinta-feira, 10 de julho de 2008

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Desire


It's pure, unconditional desire

Grrrrrrrrrrr ;^^

terça-feira, 8 de julho de 2008

Edifício Magnólia


Algo que tenho ouvido a minha vizinhança favorita comentar é que não se lembram de como foram dar a um Edifício com tanta vida e sedução. Por mero acaso, porque aconteceu, porque alguém lhes falou sobre o Edifício Magnólia, as razões são muitas, mas a verdade é que a partir do momento em que se entram as portas desde Edifício... é difícil descolar. É difícil parar de espreitar pelas fechaduras das portas. Pela janela entreaberta do primeiro esquerdo, numa segunda-feira como tantas outras, ouvi pela primeira vez o nome de Helena. Que está naturalmente e para sempre associado ao nome de Rodrigo, o seu marido. Os dois jantam juntamente com o filho mais novo do casal. O filho mais velho saiu, mas por continuar a espreitar pelas janelas do primeiro esquerdo, mais tarde vim a descobrir que o filho mais velho trouxe (sem saber) duas personagens importantes para a vida desta família. Ironicamente, a namorada, e o melhor amigo, que tanta sedução, desejo e confusão trouxeram à vida deste casal. Um casal aparentemente perfeito. Mas por baixo de uma película de ouro, escondem-se traições e mentiras, e daqui, ainda alguém vai sair magoado. Quem e quando, não sei, apenas posso continuar a esperar à porta do Edifício e deixar que as vozes desta família se propaguem pelo ar até mim.
Poderia seguir o mesmo esquema e tentar ouvir o que se passa no primeiro direito através de uma janela entreaberta, de uma voz que venha até mim. Mas não é tão fácil. Porque o primeiro direito tem uma atmosfera sossegada mas acolhedora. A voz da inquilina Maria José é suave. Por mais que tente não consigo ouvir de cá de fora. Por isso entro as portas de vidro do Edifício e ouço Maria José. Está um homem a falar também. A voz dele é bem mais audível, forte mas protectora. Com um timbre de sedução e desejo está a tentar demover Maria José de algo que não consigo perceber. É fácil de notar o carinho que o dono do primeiro direito tem para com a sua cunhada, inquilina e amante. Tudo isso Maria José é. Mas muito mais... É namorada de um jovem muito mais novo, o carteiro que entrega as cartas a este Edifício. É divorciada de um homem que não lhe deu o devido valor. É uma professora. Dá explicações e já teve aventuras com alunos seus, com o cunhado, mas principalmente, ela gosta de como o carteiro a faz sentir. Nova, esbelta, diferente e ainda capaz de amar alguém. Ou será que esse amor deveria de ser dado ao cunhado... Veremos!
Subo a escadaria de mármore, e chego ao segundo andar. Segundo a Narradora que me descreve os maiores cuchichos
, o segundo andar é "exactamente igual ao primeiro, apenas com uma diferença peculiar. O aroma intenso que resiste no corredor entre as duas portas."
Na minha opinião, este andar tem uma diferença enorme do primeiro. É que os dois primeiros apartamentos que já descrevi envolvem de uma maneira ou de outra traições, casas harmoniosas e bem cuidadas, residentes maduros mas que podem sem esperarmos comportarem-se como adolescentes. Tudo isto o primeiro esquerdo e direito têm em comum. Mas no segundo andar... No segundo esquerdo, moram duas inquilinas. Jovens, estudantes, apaixonadas, mas que neste momento perderam o amor ás cores da vida. Talvez por um tempo tenham até perdido o valor do amor. No meio de uma amizade destruída e até de um romance destruído, as duas tentam voltar a acreditar que a paixão é possível, e que apesar de erros cometidos, nada vai ser como dantes... vai ser melhor.
Mas eu disse que este andar era diferente do primeiro. Simplesmente porque enquanto no primeiro andar as coincidências entre os apartamentos opostos são imensas, aqui as diferenças entre os apartamentos é que são de sublinhar. Enquanto no segundo esquerdo a confiança entre as inquilinas foi abalada, e as confusões emocionais são muitas, no segundo direito a confiança é, na minha opinião, máxima. Porque é preciso confiança no nosso amante e amor quando actos a três, quatro, ou até swing é praticado. É preciso confiança e certezas que tudo vai ficar bem. Que ninguém que o casal Laura e Afonso convide para a sua cama vai mudar a paixão que eles sentem um pelo outro. Pelo contrário, as fantasias a três, quatro e até cinco fazem parte do quotidiano das paredes deste apartamento, e fortalecem a relação que os dois têm. Outra diferença entre este e o segundo esquerdo é que os vizinhos ou adoram as estudantes do segundo andar, ou não se reconhecem nelas. Enquanto este segundo direito é amado por todos. Não é o favorito de muitos. Mas todos gostam de ler os posts excitantes e pormenorizados com que a Narradora nos presenteia. Espreitar a vida deste apartamento é simplesmente, um prazer.
Deixo o segundo andar e subo para o terceiro andar deste Edifício Magnólia. A noite acabou de cair, e no terceiro direito só agora "o dia" vai começar. Mas antes de poder concentrar-me neste apartamento, do lado oposto sai Rafael. Conheço a sua vida, conheço até o seu mais recente e maior segredo. O cubo de gelo que é Rafael, mas avassalador em relação a orgasmos, já foi traído e humilhado. Isso faz com que ele se proteja. Mas até quando... É que Rafael ainda não reparou em mim a meio da escadaria que liga o segundo ao terceiro andar. Rafael congelou em frente ao apartamento da amante Ana. Ele ouve gemidos. Movimentos dentro do apartamento da vizinha. A expressão de Rafael é uma mistura de desprezo, tristeza e confusão. Ele queria estar com ela. Alguma revelação talvez? Mas ele já sabia que a esta hora Ana estaria ocupada com clientes. Porque Ana é uma acompanhante sublime e profissional. Talvez Rafael quisesse mudar os planos de noite de Ana. Enquanto penso nisto Rafael repara finalmente em mim. O seu olhar sedutor e charmoso nem com tristeza se dissipa. O seu corpo oponente vira-se para mim, e o morador do terceiro esquerdo dá-me um breve sorriso. Depois volta a dirigir-se para dentro de casa.
Do apartamento de Ana continuo a sentir energia e a promessa de uma noite escaldante para algum cliente da jovem. Mas este terceiro andar ainda tem muito que contar, e sendo estes os meus apartamentos que mais gosto de espreitar, espero daqui ainda muitas emoções e sensações.
Apesar de este Edifício só ter três pisos, há ainda 2 espaços muito importantes para mim, para os vizinhos e para os moradores. O novo complexo na parte superior do Edifício, com piscina, jacuzzi entre muitos outros requintes aquáticos, provocam novas sensações e momentos escaldantes entre todos os que passam por aqui. Mas depois de tanta sensação, emoção, paixão, cuchichos e até delírio, só mesmo um lanche tardio ou nem tanto é que me pode refrescar as ideias. O Espaço Magnólia é algo que transforma e dá vida (ainda mais vida diria eu) a todo o complexo de apartamentos.
O post já vai longo, muito longo até, mas era preciso eu demonstrar o quão feliz fiquei pela minha nomeação Magnolium. Desde à uns meses que sigo atentamente este maravilhoso blog, que encontrei tal como disse no princípio, "por mero acaso", depois de visitar as sugestões do "Blogues Eróticos". Assim vou continuar, e convido todos os que passarem por aqui a passarem pelo Edifício Magnólia. Toquem às campaínhas e... deliciem-se!

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Come get me


Sensualidade sem limites...

domingo, 6 de julho de 2008

sábado, 5 de julho de 2008

Solidão


Perdida por ruas escuras e desertas
Onde a solidão me atormenta
Onde o meu espírito se afunda
E onde quem me pode salvar
Não se aventura a aproximar...

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Um olhar


Texto retirado da página da autora da foto:
"
"Porque os olhos são o espelho da alma, nada mais pode expressar com extrema rapidez, mil palavras de uma só vez."
Actualmente encontro-me a trabalhar com reclusos, onde a comunicação oral é praticamente inexistente ...onde as palavras são ditas em silêncio.
Vou aprendendo a ler na linguagem do olhar...
"
Não sei se o que me encantou mais foi a foto e o acreditar que o olhar de uma criança é o mais puro e honesto, ou se foi o resumo da foto que aqui coloquei. Seja como for, resolvi pôr aqui...

Nublada felicidade


Um dia de nevoeiro, mas tão colorido.
Uma magia diferente, uma esperança transcendente.
Ultrapassa os sentimentos vividos, faz-me sorrir.
À espera de melhores dias, mas...
Hoje...
Contento-me com o que o dia me dá.
Poderia dar mais...
Mas não refilo.
Fico assim.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Me?


Passionate just like me

Misterious just like me

terça-feira, 1 de julho de 2008

Reflexos


Look at me...
... in the mirror...