segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Felinas saudades



"Vamos ver se consigo...
Pensar nos momentos em que estive contigo como um passado bom, óptimo...
E não como um futuro que eu gostava que acontecesse novamente."
By: me, myself and I, no dia 20 de Outubro de 2008


É impressionante como esta frase já não faz uma pitada de sentido. Escrevi isto no dia a seguir a uma profunda conversa, onde resolvi tentar, ou passar a tentar, esquecer quem mais me faz feliz. Ora, aí está um profundo erro. Isto é algo que eu tenho vindo a observar desde Janeiro deste ano, quando "tudo começou"... É que cada semana que passa, eu aprendo algo sobre ti, sobre mim, sobre nós e sobre o amor. E ao dizer isto, estava mesmo desesperada por esquecer o inesquecível, ultrapassar o inultrapassável, abafar e fechar às chaves aquilo que vai estar sempre, sempre aqui, por mais voltas que eu dê ao mundo, por mais vezes que te veja sozinho ou acompanhado, por mais pessoas a quem eu me entregue...
Porque eu vou sempre querer, até mesmo que secretamente... que esse passado, posso mesmo até dizer presente, passe a ser futuro... Um futuro mais-que-perfeito.

*suspiro*

8 comentários:

Ricardo disse...

Uau... Quanta objectividade, é assim mesmo, ao que parece só vivemos uma vez! :)

Beijo

Lize disse...

Ricardo, ultimamente têm-me chamado bastante isso sobre este assunto: objectiva, realista,... Mas tem que ser!

Beijocas

NM disse...

Como sempre, uma simpatia os teus comentários. Um beijinho grande, repleto de... Ocultos Prazeres.
NM

Lize disse...

NM, bigada :) Continuo a dizer, so digo verdades :p


Beijocas grandes

PAULO LONTRO disse...

Lize, como sempre, transparente como água! ;)

Lize disse...

Paulo, eu tento. :P Mas nem sempre isso acontece :P

Beijocas

Jorge Pessoa e Silva disse...

Quando o passado nos prende e o futuro nos limita algo vai correr mal no presente...

No Amor todos somos trapezistas sem rede. Caso contrário, seríamos previsíveis, receosos. No Amor todos nos magoamos e todos temos cicatrizes. No Amor, o mais seguro ainda é atirarmo-nos de cabeça. Sem rede, sem pensar no ontem e no amanhã. Porque no Amor, apenas o instante interessa.

--

Amiga, devo-te um pedido de desculpas, porque pouco tenho passado por aqui. Sei que acreditas que não é por desinteresse, antes por uma vida louca que estás prestes a dar uma volta enorme e decisiva para o meu futuro, mas sobre isso falarei um dia.

Se calhar é mais a mim que devo as desculpas, porque hoje encontrei uma horinha para estar aqui e vejo que o tenho perdido. Vou fazer o esforço para te acompanhar com mais atenção.

Beijinhos e BOAS FESTAS

Lize disse...

Jorge, começando pelo fim, não tens de pedir desculpa por nada. Já é óptimo poder seguir o teu blog e responderes aos comentários todos que te damos. Ainda estou para ver para onde vai o senhor Jorge... :P Será que vens para ao pé de mim? ahah :P
Quanto ao amor... Eu não estou presa ao passado, e o futuro também não me limita... Acho que o que me limita mais é o presente... Sei que vivo o que tenho cada dia e aproveito ao máximo... As palavras queridas ficam guardadas, porque sei que não as vou ouvir para sempre... Aliás, nunca ninguém sabe até quando algo vai durar. Mas isso deve ser das poucas coisas boas de uma relação à distância. Uma das primeiras coisas é que quando dura, normalmente é indicação que o amor é mesmo verdadeiro... E segundo, como se sabe que o tempo juntos é sempre reduzido, é tudo muito mais bem vivido e aproveitado.
Mas sem dúvida, "no Amor, apenas o instante interessa".

:) Beijocas